Toda vida rende um livro

letras nas mãos

 

A vida de todo mundo daria um livro, depende apenas da forma como é contada. Toda empresa tem uma história que precisa ser registrada. Cada mestre ou palestrante deveria ter seu próprio livro com seu método e saberes. O conhecimento precisa ser compartilhado. As pessoas se vão, o livro fica.

Mas como transformar tudo isso em livro? Às vezes a pessoa não tem facilidade para escrever, não domina as técnicas da escrita, ou simplesmente não tem tempo para passar um ano ou mais escrevendo a sua obra.

Por isso existem os ghost writers, profissionais de escrita capacitados para coletar o conteúdo com o autor, transformar isso tudo em linguagem, criar um projeto editorial, e finalmente redigir uma obra capaz de fazer o leitor reconhecer ali o timbre e a “voz” narrativa daquele autor.

Tenho muito orgulho de ter colaborado para tornar realidade 20 livros , trabalhando para editoras ou para os próprios autores, alguns deles já em segunda ou terceira edição.

A razão disso é que gosto de contar histórias, vividas ou inventadas por mim, assim como também as histórias dos outros. Como ghost utilizo todas as ferramentas da escrita que adquiri em tantos anos de profissão para valorizar vidas e trajetórias de maneira emocionante e inspiradora.

Nanete Neves é paulistana, jornalista e escritora, com duas pós-graduações em escrita literária. Hoje vive de escrever, editar e ministrar oficinas. É autora da novela De âmbar e trigo (Alink Editora, 2016); O Poeta e a foca (Pasavento, 2015), em que conta como conseguiu a primeira entrevista de Drummond para a imprensa quando ainda era novata na carreira; Batendo ponto: uma colherada de humor na hora do cafezinho, ao lado de Nelson de Oliveira e Marcelino Freire (Novo Século, 2013) e de Lavoura dourada (Évora, 2010). Participa de diversas antologias de contos no Brasil e em Portugal.

Anúncios