O audiolivro, memórias e o fazer literário

Entrevista minha no programa “Opinião Livre’ (do Canal Universitário), sendo entrevistada pela apresentadora Silvia Vinhas, sobre o fato de O Poeta e a foca ter virado um audiolivro: essa novidade tecnológica de se poder baixar um aplicativo e poder ouvir, pelo celular, uma obra narrada por atores.  E ainda a diferença de escrever como jornalista ou como escritora de livros, a delicadeza da memória e o fazer literário.

 

Anúncios

Toda vida rende um livro

letras nas mãos

 

A vida de todo mundo daria um livro, depende apenas da forma como é contada. Toda empresa tem uma história que precisa ser registrada. Cada mestre ou palestrante deveria ter seu próprio livro com seu método e saberes. O conhecimento precisa ser compartilhado. As pessoas se vão, o livro fica.

Mas como transformar tudo isso em livro? Às vezes a pessoa não tem facilidade para escrever, não domina as técnicas da escrita, ou simplesmente não tem tempo para passar um ano ou mais escrevendo a sua obra.

Por isso existem os ghost writers, profissionais de escrita capacitados para coletar o conteúdo com o autor, transformar isso tudo em linguagem, criar um projeto editorial, e finalmente redigir uma obra capaz de fazer o leitor reconhecer ali o timbre e a “voz” narrativa daquele autor.

Tenho muito orgulho de ter colaborado para tornar realidade 20 livros , trabalhando para editoras ou para os próprios autores, alguns deles já em segunda ou terceira edição.

A razão disso é que gosto de contar histórias, vividas ou inventadas por mim, assim como também as histórias dos outros. Como ghost utilizo todas as ferramentas da escrita que adquiri em tantos anos de profissão para valorizar vidas e trajetórias de maneira emocionante e inspiradora.

Nanete Neves é paulistana, jornalista e escritora, com duas pós-graduações em escrita literária. Hoje vive de escrever, editar e ministrar oficinas. É autora da novela De âmbar e trigo (Alink Editora, 2016); O Poeta e a foca (Pasavento, 2015), em que conta como conseguiu a primeira entrevista de Drummond para a imprensa quando ainda era novata na carreira; Batendo ponto: uma colherada de humor na hora do cafezinho, ao lado de Nelson de Oliveira e Marcelino Freire (Novo Século, 2013) e de Lavoura dourada (Évora, 2010). Participa de diversas antologias de contos no Brasil e em Portugal.

O Poeta e a foca

Em 1977, Carlos Drummond de Andrade completava 75 anos sem nunca ter dado uma entrevista sequer: toda vida ele fugiu de jornalistas. Com toda a grande imprensa à sua procura, só uma jovem repórter de um pequeno jornal paulistano foi recebida por ele – e em seu apartamento, no Rio de Janeiro, aonde nem os amigos tinham acesso. Quase 40 anos depois resolvi contar essa história no livro O Poeta e a foca (Editora Pasavento), que será lançado dia 26 de setembro, na A Casa Tombada, um novo espaço para as artes da capital paulista.

No livro, conto como foi esse encontro que rendeu boa matéria no Shopping-City News, um perfil do Poeta na revista Nova e, principalmente, uma doce amizade, com troca de telefonemas e cartas por vários anos. Relato também as conversas com intelectuais que me falaram do jeito de ser do Poeta, suas esquisitices, sua visão de mundo e idiossincrasias pessoais, preparando-me para conhecer o mito: Antônio Houaiss, Nélida Piñon, Ferreira Gullar, Affonso Romano de San’Ana, Antônio Callado, Pedro Nava entre outros.

Venha conhecer os bastidores desse meu furo de reportagem (e da doce amizade com Carlos).

Ao lado do Parque da Água Branca, fácil de chegar, fácil de estacionar.
Amigos, apareçam lá!

Convite

Oficina – “Vidas em livro – Biografias & Ghostwriting”

Pessoal, minha oficina está de volta, e numa escola em uma casa linda, dos anos 1950, tombada e magnificamente restaurada.

Uma bela capacitação para estes tempos de crise.

BIOGRAFIAS & GHOSTWRITING 

“Toda vida daria um livro. Basta que seja bem editado e, sobretudo, bem escrito” 

Quem conta em livro a sua própria história – ou a de alguém – está fazendo literatura de não-ficção, um crescente, vigoroso e lucrativo seguimento editorial. O curso fornece as ferramentas necessárias para desenvolver essa capacitação que requer habilidades em fazer contatos, pesquisar, saber entrevistar, negociar com editoras, herdeiros e/ou “autores”, e sobretudo dominar a arte do bom texto.

É necessário que os alunos tenham lido algumas biografias que servirão de modelo (e reflexão) para o desenvolvimento de projetos de livros biográficos (ou autobiográficos ou de memória, inclusive empresarial) com uma imensa gama de opções editoriais. Exercícios práticos feitos em sala seguidos de discussão com o grupo.

Nanete Neves é graduada em jornalismo, com pós-graduação em “Formação de Escritor” e “Criação Literária” e colaborou com quase 20 livros como ghost writer (escritor fantasma). É autora de “Lavoura dourada”, “Batendo ponto – Uma colherada de humor na hora do cafezinho” (ao lado de Nelson de Oliveira e Marcelino Freire”) e “O Poeta e a foca”.

Mais informações aqui:  Vidas em livro – Biografias & Ghostwriting